Viviana Abud, da FSM: a questão de gênero é uma luta política que necessita de formação

9 de novembro de 2015 at 1:44 am Deixe um comentário

INTERSINDICAL – Central da Classe Trabalhadora

Viviana-Abud-35

“Como gênero, somos oprimidas, mas enquanto classe trabalhadora, somos exploradas. E é aí que se encontra o ponto inicial da luta que travamos”, analisou a dirigente sindical chilena, Viviana Abud, subcoordenadora de mulheres da América Latina da FSM (Federação Sindical Mundial) e Secretária Geral do SITECO (Sindicato Interempresa de la Gran Minería y Ramas Anexas) na noite desta quarta-feira, 30.

Convocada pelo coletivo de Mulheres da Intersindical – Central da Classe Trabalhadora, a atividade teve como objetivo debater a perspectiva de classe e gênero na América Latina.

Segundo Viviana, é preciso fazer uma analise do que é gênero e classe, para poder compreender a luta feminista. “Historicamente, as mulheres tem sido oprimidas, mas não temos de falar somente de opressão, mas também de exploração”.

Ela explica que opressão e exploração são dois termos que muitas vezes confundimos ser a mesma coisa, mas há uma diferença: a opressão se aplica às questões de gênero, seja para mulheres proletárias ou burguesas, enquanto a exploração divide as vítimas da opressão em classes distintas.

“Quando falamos de gênero, estamos falando da mulher exploradora e da mulher explorada. Ai está a diferença”, define. De acordo com Viviana, para terminar com a opressão da mulher, também tem de se terminar com a exploração da classe trabalhadora.

Formação com recorte de gênero

Viviana lembra que seus companheiros proletários também são explorados e discriminados. Por este motivo “a luta tem de ser conjunta”.

Ela não descarta o fato de que muitos companheiros são machistas, assim como muitas mulheres também. “Mas o que vamos fazer?”, pergunta.

Para ela, a única maneira de reverter este quadro é o caminho da formação. “A luta das mulheres não tem de ser uma bandeira exclusiva das mulheres, tem de ser uma bandeira da classe trabalhadora em seu conjunto. Pelo contrário, vamos avançar em pequenos passos”.

Ela enfatiza que o movimento feminista é muito importante, especialmente quando tem um recorte de classe, que une a todas e todos.

Viviana citou um trecho do discurso “A contribuição da mulher proletária é indispensável para a vitória do socialismo”, de Clara Zetkin, grande dirigente marxista e idealizadora do Dia Internacional de Luta das Mulheres (8 de março): “Clara – disse – nos apresentou uma perspectiva do que é a luta feminista”:

“A mulher proletária combate ombro a ombro com o homem de sua classe contra a sociedade capitalista (…) ainda que as mulheres consigam a igualdade política, nada muda na relação de forças. A mulher proletária se coloca como parte do proletariado e a burguesa como parte da burguesia. Não nos deixamos enganar pelas tendências socialistas no seio do movimento feminino burguês: elas se manifestarão enquanto as mulheres se sintam oprimidas, mas nada além disso. Ao passo que a mulher proletária está na luta pela liberdade da classe proletária”.

Segundo ela, aí que se encontra o fundamental papel da organização sindical de organizar dentro dos sindicatos, das centrais, federações e confederações, coletivos de trabalho feministas ou de gênero. “As organizações sindicais são uma ferramenta fundamental para fazer avançar as demandas de gênero”, completou.

Para ela, um dos grandes desafios dos sindicatos é a formação, e, neste caso, com recorte de gênero: “Sabemos o que é ser oprimidas e sabemos o que é ser exploradas. Nossa luta é uma luta política que necessita de formação”.

Fotos: Alexandre Maciel

Anúncios

Entry filed under: Movimento Sindical, Política. Tags: , .

Dilma impõe regra que adia aposentadoria integral PM reprime protesto contra demissões de 4 mil trabalhadores na Usiminas com bombas, tiros de borracha e gás

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


RSS PSOL São Paulo

  • PSOL ingressa com ação de inconstitucionalidade da lei anti-pichação de Doria
    PSOL INGRESSA COM AÇÃO DE INCONSTITUCIONALIDADE DA LEI ANTI-PICHAÇÃO DE DÓRIA O PSOL São Paulo ingressou na tarde desta quarta-feira, dia 08 de março, com uma Ação Direta de Inconstitucionalidade no Tribunal de Justiça de São Paulo questionando a Lei Municipal n° 16.612/2017, que instituiu o “Programa de Combate às Pichações” na capital. Aprovada pelo […] […]
  • Nota de repúdio à violência policial que reprimiu ato pacífico na USP
    O PSOL repudia a ação da Polícia Militar que reprimiu violentamente uma manifestação pacífica que ocorria hoje, dia 7 de março de 2017, em frente ao prédio da reitoria da Universidade de São Paulo (USP), em função da pauta bomba que seria discutida no Conselho Universitário (CO). Esta reunião do CO tinha como pauta aprovar […]
  • Projeto de pontos de cultura de São Carlos é interrompido unilateralmente pelo MINC: anúncio de um desmonte estadual em São Paulo
    Por Djalma Nery Com a tendência a entender cultura como entretenimento e eventos pontuais, políticas públicas processuais e de fomento prolongado a determinadas linguagens e manifestações artísticas tem se tornado cada vez mais escassas no orçamento público. As escolhas da atual gestão do Ministério da Cultura apontam para um possível desmonte de políticas p […]
  • A Máquina do Tempo
    Por Manoel Francisco Filho Aprendi com Neil deGrasse Tyson que segundo teoria de Albert Aistein seria possível uma curva no tempo e espaço em algum lugar do Universo, haveria possibilidade de proporcionar um portal para outra dimensão. Nunca fui muito bom em Física, abandonei o curso de Processo de Produção no terceiro semestre, esta ignorância […]
  • Desemprego no Brasil é maior entre negras e negros
    Por Joselicio Junior O estudo feito pelo IBGE, divulgado no último dia 23 de fevereiro, sobre a taxa de desemprego no último trimestre de 2016, demonstram como população negra é a mais atingida nos momentos de crise econômica. Segundo os dados, o ano passado fechou com uma taxa média de desemprego de 12%, porém para […]

%d blogueiros gostam disto: