Alunos e professores protestam contra o extermínio da educação pública paulista

24 de outubro de 2015 at 8:57 pm Deixe um comentário

INTERSINDICAL – Central da Classe Trabalhadora

ContraReorganizaçãoEscolar-40p

Estudantes e professores de escolas da rede estadual se uniram na tarde de terça-feira (20) em uma manifestação contra a suposta “reestruturação da rede de ensino” que o governo paulista pretende implantar a partir do início de 2016, o que implica no fechamento de escolas e na separação total dos alunos das escolas estaduais por ciclo – fundamental I, fundamental II e médio.

Vanessa Gravino, professora, militante do Bloco de Oposição da Apeoesp e da Intersindical Central da Classe Trabalhadora, analisa que “o que a Secretaria da educação e o governo Alckmin estão chamando de reorganização, é uma desorganização das escolas no estado de São Paulo. Por que transfere cerca de 1 milhão de estudantes, professoras e professores para outras unidades sem diálogo com a população”.

Para compreender um dos problemas da reorganização, ela cita o exemplo de crianças pequenas que vão para escola com irmãos mais velhos e que seus pais ou responsáveis trabalham. Essas crianças vão ficar em uma escola e os mais velhos em outra. “Isso acaba gerando em distanciamento entre a criança e o aluno mais velho “, explica.

“O governo Alckmin tem o cinismo de chamar a reestruturação das escolas de política pública. Fechamento de escolas e turnos são características de políticas de enxugamento da máquina estatal. As opções do governo precisam ser colocadas como são, de modo honesto e verdadeiro. Alckmin falta com a verdade por mais uma vez”, explica Sérgio Martins Cunha, diretor Executivo de Organização para o Interior da Apeoesp e membro da Direção Nacional da executiva da Intersindical Central da Classe Trabalhadora.

“O ato de hoje é extremamente importante, ocupamos as ruas para denunciar o extermínio da educação pública paulista”, afirma Angela Meyer, presidente da União Paulista dos Estudantes Secundaristas.

Bonecos infláveis representando o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), e o secretário de Educação, Herman Voorwald, “caminharam” lado a lado com um caixão levado pelos estudantes secundaristas representando o extermínio do ensino público.

O ato começou na Praça da República, no Centro de São Paulo, em frente à sede da Secretaria de Estado da Educação, passou pela Câmara Municipal de SP e terminou na frente da Catedral da Sé.

Segundo a Apeoesp, cerca de 10 mil pessoas participaram da passeata. A Polícia Militar não divulgou estimativa de público.

Protestos em série

Nas últimas semanas uma série de protestos vem eclodindo em diversas localidades contra os desmandes de Alckmin.

O fechamento de escolas implicará no aumento do número de alunos por sala. E este raciocínio é justamente contrário à melhoria da qualidade do ensino. Por isso os estudantes reivindicam mais escolas e menos alunos por sala.

O Ministério Público do Estado abriu um inquérito civil para apurar a reorganização das escolas estaduais. A promotoria do órgão quer saber se de fato unidades serão fechadas e quais os benefícios que o governo paulista espera obter com a mudança. A Defensoria Pública de São Paulo também já pediu explicações à Secretaria Estadual de Educação. A sociedade civil exige explicações e transparência no processo.

Veja as fotos da manifestação: Foto: Alexandre Maciel

Anúncios

Entry filed under: Educação. Tags: .

‘Todas as mortes de indígenas têm de ficar na conta dos ruralistas e do Estado brasileiro’ Movimentos vão às ruas celebrar 10 anos da derrota da Alca

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


RSS PSOL São Paulo

  • PSOL ingressa com ação de inconstitucionalidade da lei anti-pichação de Doria
    PSOL INGRESSA COM AÇÃO DE INCONSTITUCIONALIDADE DA LEI ANTI-PICHAÇÃO DE DÓRIA O PSOL São Paulo ingressou na tarde desta quarta-feira, dia 08 de março, com uma Ação Direta de Inconstitucionalidade no Tribunal de Justiça de São Paulo questionando a Lei Municipal n° 16.612/2017, que instituiu o “Programa de Combate às Pichações” na capital. Aprovada pelo […] […]
  • Nota de repúdio à violência policial que reprimiu ato pacífico na USP
    O PSOL repudia a ação da Polícia Militar que reprimiu violentamente uma manifestação pacífica que ocorria hoje, dia 7 de março de 2017, em frente ao prédio da reitoria da Universidade de São Paulo (USP), em função da pauta bomba que seria discutida no Conselho Universitário (CO). Esta reunião do CO tinha como pauta aprovar […]
  • Projeto de pontos de cultura de São Carlos é interrompido unilateralmente pelo MINC: anúncio de um desmonte estadual em São Paulo
    Por Djalma Nery Com a tendência a entender cultura como entretenimento e eventos pontuais, políticas públicas processuais e de fomento prolongado a determinadas linguagens e manifestações artísticas tem se tornado cada vez mais escassas no orçamento público. As escolhas da atual gestão do Ministério da Cultura apontam para um possível desmonte de políticas p […]
  • A Máquina do Tempo
    Por Manoel Francisco Filho Aprendi com Neil deGrasse Tyson que segundo teoria de Albert Aistein seria possível uma curva no tempo e espaço em algum lugar do Universo, haveria possibilidade de proporcionar um portal para outra dimensão. Nunca fui muito bom em Física, abandonei o curso de Processo de Produção no terceiro semestre, esta ignorância […]
  • Desemprego no Brasil é maior entre negras e negros
    Por Joselicio Junior O estudo feito pelo IBGE, divulgado no último dia 23 de fevereiro, sobre a taxa de desemprego no último trimestre de 2016, demonstram como população negra é a mais atingida nos momentos de crise econômica. Segundo os dados, o ano passado fechou com uma taxa média de desemprego de 12%, porém para […]

%d blogueiros gostam disto: