A GREVE DOS PROFESSORES E A CONJUNTURA.

13 de abril de 2015 at 1:15 pm Deixe um comentário

FOTO DO  ENCONTRO ESTADUAL DOS PROFESSORES DE FILOSOFIAAldo Santos- Membro da executiva Nacional da Intersindical Central da Classe Trabalhadora e Presidente da Associação dos Professores de Filosofia e Filósofos do Estado de São Paulo. 

  A luta pela sobrevivência sempre esteve presente no cotidiano da classe trabalhadora, ao longo da história da humanidade. É claro que o embate classista definiu seus contornos a partir do surgimento do Estado e mais recentemente com os modos de produção e a formação da classe operaria no  capitalismo.

Na recente eleição para presidencia da república, evidenciou-se uma falsa polêmica com a polarização dos candidatos que disputaram o segundo turno das eleições. O balcão de negócio gerou e gera disputas encarniçadas pelo controle do aparato do governo, que, insaciáveis, não estão sendo capazes de aplacar a fome por cargo e espaço institucional, transformando  ainda as vacas leiteiras do sistema (Petrobrás e outras) numa disputa e denúncias sem fim, principalmente na figura dos históricos e fisiológicos partidos que compõe o governo.

Na medida em que o PSDB e outros estão excluídos da farta mesa dos palácios, a disputa fica acirrada e ganham as ruas entre os que defendem o atual governo e os que querem o impedimento do mesmo.

No fundo, essas disputas são por reformas e não pela revolução social contra  o sistema opressor capitalista em que vivemos.

Corroborando com essas denúncias e práticas condenáveis de corrupção, a educação vem politizando e esvaziando essa polarização ao colocar a educação como um fator determinante no processo de transformação social e de politização educacional.

Com a deflagração de greves em vários Estados, professores saem às ruas exigindo melhores salários, condições de trabalho, diminuição do número de alunos em sala de aula,  por novos concursos públicos e por efetivo investimento de 10% do PIB na educação, já!

Essa agenda de greve foi agravada com a aprovação do PL 4330 que visa ainda mais sucatear o serviço público e privado em nosso  País.A pauta de reivindicação  deve acrescentar  também  a campanha pelo  “Veta Dilma”, dessa famigerada lei que vai deteriorar ainda mais a vida da classe trabalhadora.

Os motivos e as condições para uma greve geral estão na ordem do dia e a Intersindical deve contribuir com esse processo de luta em curso.

Nesse sentido, o retrocesso político da polarização entre extrema direita e cento direita se combate com educadores nas ruas, juntamente com os educandos e a sociedade organizada e consciente do que está em jogo nesse tabuleiro político.

A luta pela educação pública, gratuita, laica, democrática e de qualidade vai continuar, uma vez que as ruas se transformaram em grandes eventos educacionais,  e o chamado coletivo aos educadores de fato comprometidos com a educação continua ecoando : “Vem pra rua, porque a rua é a maior arquibancada do Brasil” (cantada pelo vocalista Marcelo Falcão da banda do Rappa)

A greve é dos educadores, dos estudantes e da sociedade como um todo, pois, a vitoria dos educadores será também  uma vitória da qualidade e eficiência da educação brasileira.

Temos muito apoio, mas ainda falta muita gente nessa luta em defesa dessa histórica bandeira que é a educação como fator de evolução, desenvolvimento e libertação do atraso econômico e da opressão cultural.

Todos à luta e nas ruas como educadores  da pátria do mundo do trabalho.

Lutar e vencer é preciso!

Aldo Santos- Membro da executiva Nacional da Intersindical e Presidente da Associação dos Professores de Filosofia e Filósofos do Estado de São Paulo.

Anúncios

Entry filed under: Educação. Tags: .

PL 4.330/04: maldade explícita e ilusão Morre o escritor Eduardo Galeano

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


RSS PSOL São Paulo

  • PSOL ingressa com ação de inconstitucionalidade da lei anti-pichação de Doria
    PSOL INGRESSA COM AÇÃO DE INCONSTITUCIONALIDADE DA LEI ANTI-PICHAÇÃO DE DÓRIA O PSOL São Paulo ingressou na tarde desta quarta-feira, dia 08 de março, com uma Ação Direta de Inconstitucionalidade no Tribunal de Justiça de São Paulo questionando a Lei Municipal n° 16.612/2017, que instituiu o “Programa de Combate às Pichações” na capital. Aprovada pelo […] […]
  • Nota de repúdio à violência policial que reprimiu ato pacífico na USP
    O PSOL repudia a ação da Polícia Militar que reprimiu violentamente uma manifestação pacífica que ocorria hoje, dia 7 de março de 2017, em frente ao prédio da reitoria da Universidade de São Paulo (USP), em função da pauta bomba que seria discutida no Conselho Universitário (CO). Esta reunião do CO tinha como pauta aprovar […]
  • Projeto de pontos de cultura de São Carlos é interrompido unilateralmente pelo MINC: anúncio de um desmonte estadual em São Paulo
    Por Djalma Nery Com a tendência a entender cultura como entretenimento e eventos pontuais, políticas públicas processuais e de fomento prolongado a determinadas linguagens e manifestações artísticas tem se tornado cada vez mais escassas no orçamento público. As escolhas da atual gestão do Ministério da Cultura apontam para um possível desmonte de políticas p […]
  • A Máquina do Tempo
    Por Manoel Francisco Filho Aprendi com Neil deGrasse Tyson que segundo teoria de Albert Aistein seria possível uma curva no tempo e espaço em algum lugar do Universo, haveria possibilidade de proporcionar um portal para outra dimensão. Nunca fui muito bom em Física, abandonei o curso de Processo de Produção no terceiro semestre, esta ignorância […]
  • Desemprego no Brasil é maior entre negras e negros
    Por Joselicio Junior O estudo feito pelo IBGE, divulgado no último dia 23 de fevereiro, sobre a taxa de desemprego no último trimestre de 2016, demonstram como população negra é a mais atingida nos momentos de crise econômica. Segundo os dados, o ano passado fechou com uma taxa média de desemprego de 12%, porém para […]

%d blogueiros gostam disto: