Trabalhadores (as) fundam a Intersindical

31 de março de 2014 at 11:57 pm Deixe um comentário

Por Químicos Unificados

dsc00849

A Intersindical – Central da Classe Trabalhadora foi oficialmente fundada ontem (30 de março), na quadra dos Bancários, em São Paulo, ao final do congresso que contou com ampla participação de trabalhadoras e trabalhadores de diferentes setores, totalizando 550 pessoas, sendo 353 delegados de 64 sindicatos do campo e da cidade, 54 oposições sindicais, 48 minorias sindicais, 12 movimentos de luta pela terra, moradia e serviços públicos de 19 estados brasileiros de todas as regiões do país. Após debates de conjuntura, concepção sindical e discussões em 12 grupos setoriais, realizados nos dias 28 e 29 de março, os delegados aprovaram por unanimidade o estatuto e fundaram a central.

WEB-tripa

Por unanimidade, foram eleitos os 39 membros que compõem a direção nacional, sendo 19 companheiros (as) da direção executiva. Também foram eleitos os 06 representantes para o conselho fiscal (03 titulares e 03 suplentes) da central.

A Intersindical nasce rompendo com velha estrutura sindical, sendo contra o imposto sindical e dispensando estrutura de direção presidencialista. Ela será coordenada por um colegiado e seu dia a dia por um secretariado, através de secretarias. Edson Carneiro, bancário de São Paulo, será o secretário geral para os próximos dois anos.

A composição da direção contempla representações de trabalhadores e trabalhadoras de diferentes estados e ramos de atividades. Do Sindicato Químicos Unificados foram eleitos o companheiro Edinho, da Regional Vinhedo, como titular do conselho fiscal da central, a dirigente da Regional Osasco, Nilza Pereira, para a direção executiva e Arlei Medeiros, da Regional Campinas, como secretário de finanças da central.

O congresso é a instância máxima de deliberação da central e deve ocorrer a cada três anos, quando também haverá a eleição da nova direção. No entanto, o mandato desta primeira direção será de dois anos. Esta proposta foi aprovada pelos (as) delegados (as) já prevendo que a Intersindical ampliará o número de entidades filiadas. Assim, em 2016 o 1º Congresso elegerá companheiros que cumprirão mandato por três anos.

Forma de organização

A Intersindical – Central da Classe Trabalhadora conta com 13 secretarias: geral, finanças, combate à opressão, trabalhadores do campo, estudos socioeconômicos, saúde e meio ambiente, trabalhadores dos serviços públicos, política sindical, formação política, comunicação, relações internacionais, juventude trabalhadora e articulação de políticas setoriais.

A central se organizará por instâncias estaduais. Também foi aprovada resolução que garante o percentual de 30% de representação por gênero nos sindicatos filiados à central e no próximo congresso tem a indicação para seja alcançada a paridade. A proposta foi resultado do acúmulo de discussões do setorial da mulher trabalhadora, que indicou também a necessidade de uma campanha permanente por parte da Intersindical para o combate à violência contra as mulheres.

Pela transformação social

Os delegados aprovaram resoluções que guiarão a central no próximo período, todas pautadas no fortalecimento da concepção e prática unitária, democrática e internacionalista, construída a partir dos locais de trabalho com autonomia e independência política.

Como central que combate o capitalismo e todas as formas de opressão, ela combina a luta pelas reivindicações imediatas da classe trabalhadora (melhores condições de salários, trabalho e vida) à transformação social, por uma sociedade democrática, fraterna, igualitária, livre e socialista. Por este motivo, a central caminha junto com os movimentos sociais e tem em sua direção representação deste segmento.

Com princípios claros quanto a liberdade e autonomia sindical, a Intersindical será sustentada financeiramente pelas contribuições financeiras das entidades filiadas. Não fará, portanto, uso do imposto sindical, como fazem outras centrais dependentes e controladas pelo Estado.

Outra  resolução do congresso é que a Intersindical – Central da Classe Trabalhadora não apoiará nenhuma candidatura nas próximas eleições. Como central independente de partidos, irá preparar uma plataforma de reivindicações da classe trabalhadora a ser entregue aos candidatos.

Fundação da Intersindical – 30 de março de 2014

dsc00502dsc00520dsc00718dsc00736dsc00779dsc00795dsc00837dsc00844dsc00849WEB-destaque-DSC00837-337x252

1403313_596265817109551_410426029_o1781164_10203209946830316_311293703_o1890475_10203209957390580_1027679919_o1966336_10203209950350404_1541104755_o10007340_10203209941150174_556603572_o

WEB-tripa

Anúncios

Entry filed under: Movimento Sindical. Tags: .

‘Se a direita pode ir à rua com sua bandeira suja, temos muito mais gente que apoia as liberdades’ Por melhores condições de vida e de trabalho 20 mil marcham nas ruas de São Paulo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


RSS PSOL São Paulo

  • PSOL ingressa com ação de inconstitucionalidade da lei anti-pichação de Doria
    PSOL INGRESSA COM AÇÃO DE INCONSTITUCIONALIDADE DA LEI ANTI-PICHAÇÃO DE DÓRIA O PSOL São Paulo ingressou na tarde desta quarta-feira, dia 08 de março, com uma Ação Direta de Inconstitucionalidade no Tribunal de Justiça de São Paulo questionando a Lei Municipal n° 16.612/2017, que instituiu o “Programa de Combate às Pichações” na capital. Aprovada pelo […] […]
  • Nota de repúdio à violência policial que reprimiu ato pacífico na USP
    O PSOL repudia a ação da Polícia Militar que reprimiu violentamente uma manifestação pacífica que ocorria hoje, dia 7 de março de 2017, em frente ao prédio da reitoria da Universidade de São Paulo (USP), em função da pauta bomba que seria discutida no Conselho Universitário (CO). Esta reunião do CO tinha como pauta aprovar […]
  • Projeto de pontos de cultura de São Carlos é interrompido unilateralmente pelo MINC: anúncio de um desmonte estadual em São Paulo
    Por Djalma Nery Com a tendência a entender cultura como entretenimento e eventos pontuais, políticas públicas processuais e de fomento prolongado a determinadas linguagens e manifestações artísticas tem se tornado cada vez mais escassas no orçamento público. As escolhas da atual gestão do Ministério da Cultura apontam para um possível desmonte de políticas p […]
  • A Máquina do Tempo
    Por Manoel Francisco Filho Aprendi com Neil deGrasse Tyson que segundo teoria de Albert Aistein seria possível uma curva no tempo e espaço em algum lugar do Universo, haveria possibilidade de proporcionar um portal para outra dimensão. Nunca fui muito bom em Física, abandonei o curso de Processo de Produção no terceiro semestre, esta ignorância […]
  • Desemprego no Brasil é maior entre negras e negros
    Por Joselicio Junior O estudo feito pelo IBGE, divulgado no último dia 23 de fevereiro, sobre a taxa de desemprego no último trimestre de 2016, demonstram como população negra é a mais atingida nos momentos de crise econômica. Segundo os dados, o ano passado fechou com uma taxa média de desemprego de 12%, porém para […]

%d blogueiros gostam disto: