Trabalhadores (as) fundam a Intersindical

31 de março de 2014 at 11:57 pm Deixe um comentário

Por Químicos Unificados

dsc00849

A Intersindical – Central da Classe Trabalhadora foi oficialmente fundada ontem (30 de março), na quadra dos Bancários, em São Paulo, ao final do congresso que contou com ampla participação de trabalhadoras e trabalhadores de diferentes setores, totalizando 550 pessoas, sendo 353 delegados de 64 sindicatos do campo e da cidade, 54 oposições sindicais, 48 minorias sindicais, 12 movimentos de luta pela terra, moradia e serviços públicos de 19 estados brasileiros de todas as regiões do país. Após debates de conjuntura, concepção sindical e discussões em 12 grupos setoriais, realizados nos dias 28 e 29 de março, os delegados aprovaram por unanimidade o estatuto e fundaram a central.

WEB-tripa

Por unanimidade, foram eleitos os 39 membros que compõem a direção nacional, sendo 19 companheiros (as) da direção executiva. Também foram eleitos os 06 representantes para o conselho fiscal (03 titulares e 03 suplentes) da central.

A Intersindical nasce rompendo com velha estrutura sindical, sendo contra o imposto sindical e dispensando estrutura de direção presidencialista. Ela será coordenada por um colegiado e seu dia a dia por um secretariado, através de secretarias. Edson Carneiro, bancário de São Paulo, será o secretário geral para os próximos dois anos.

A composição da direção contempla representações de trabalhadores e trabalhadoras de diferentes estados e ramos de atividades. Do Sindicato Químicos Unificados foram eleitos o companheiro Edinho, da Regional Vinhedo, como titular do conselho fiscal da central, a dirigente da Regional Osasco, Nilza Pereira, para a direção executiva e Arlei Medeiros, da Regional Campinas, como secretário de finanças da central.

O congresso é a instância máxima de deliberação da central e deve ocorrer a cada três anos, quando também haverá a eleição da nova direção. No entanto, o mandato desta primeira direção será de dois anos. Esta proposta foi aprovada pelos (as) delegados (as) já prevendo que a Intersindical ampliará o número de entidades filiadas. Assim, em 2016 o 1º Congresso elegerá companheiros que cumprirão mandato por três anos.

Forma de organização

A Intersindical – Central da Classe Trabalhadora conta com 13 secretarias: geral, finanças, combate à opressão, trabalhadores do campo, estudos socioeconômicos, saúde e meio ambiente, trabalhadores dos serviços públicos, política sindical, formação política, comunicação, relações internacionais, juventude trabalhadora e articulação de políticas setoriais.

A central se organizará por instâncias estaduais. Também foi aprovada resolução que garante o percentual de 30% de representação por gênero nos sindicatos filiados à central e no próximo congresso tem a indicação para seja alcançada a paridade. A proposta foi resultado do acúmulo de discussões do setorial da mulher trabalhadora, que indicou também a necessidade de uma campanha permanente por parte da Intersindical para o combate à violência contra as mulheres.

Pela transformação social

Os delegados aprovaram resoluções que guiarão a central no próximo período, todas pautadas no fortalecimento da concepção e prática unitária, democrática e internacionalista, construída a partir dos locais de trabalho com autonomia e independência política.

Como central que combate o capitalismo e todas as formas de opressão, ela combina a luta pelas reivindicações imediatas da classe trabalhadora (melhores condições de salários, trabalho e vida) à transformação social, por uma sociedade democrática, fraterna, igualitária, livre e socialista. Por este motivo, a central caminha junto com os movimentos sociais e tem em sua direção representação deste segmento.

Com princípios claros quanto a liberdade e autonomia sindical, a Intersindical será sustentada financeiramente pelas contribuições financeiras das entidades filiadas. Não fará, portanto, uso do imposto sindical, como fazem outras centrais dependentes e controladas pelo Estado.

Outra  resolução do congresso é que a Intersindical – Central da Classe Trabalhadora não apoiará nenhuma candidatura nas próximas eleições. Como central independente de partidos, irá preparar uma plataforma de reivindicações da classe trabalhadora a ser entregue aos candidatos.

Fundação da Intersindical – 30 de março de 2014

dsc00502dsc00520dsc00718dsc00736dsc00779dsc00795dsc00837dsc00844dsc00849WEB-destaque-DSC00837-337x252

1403313_596265817109551_410426029_o1781164_10203209946830316_311293703_o1890475_10203209957390580_1027679919_o1966336_10203209950350404_1541104755_o10007340_10203209941150174_556603572_o

WEB-tripa

Anúncios

Entry filed under: Movimento Sindical. Tags: .

‘Se a direita pode ir à rua com sua bandeira suja, temos muito mais gente que apoia as liberdades’ Por melhores condições de vida e de trabalho 20 mil marcham nas ruas de São Paulo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


RSS PSOL São Paulo

  • Guilherme Boulos | Precisamos falar de justiça tributária
    Artigo publicado originalmente no site do IREE Vivemos um momento de encruzilhada. Acredito que não podemos mais fugir ou empurrar nossos problemas pra frente. A política de ajuste de Temer é a mesma que fracassa a olhos nus e se refugia no “socorro” do FMI na Argentina de Macri. É preciso apontar os problemas estruturais do […]
  • Nota pública: o Brasil diz não a Temer
    Na última semana o governo Temer completou dois anos de ataques à democracia, à soberania e aos direitos sociais. Sua agenda de retrocessos tem como alvos imediatos os direitos trabalhistas e previdenciários, o patrimônio nacional, a legislação ambiental e a capacidade de atuação do Estado, cuja soma coloca em questão os direitos da pessoa humana, […] […]
  • Projeto do PSOL na Alesp proíbe descarte de resíduos tóxicos na natureza
    A bancada do PSOL na Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp), composta por Carlos Giannazi, João Paulo Rillo e Raul Marcelo, apresentou nesta quarta-feira (23) projeto de lei que proíbe o descarte de resíduos tóxicos na natureza em território do Estado de São Paulo. A ideia da elaboração desta proposta de lei partiu de um […]
  • Executiva Estadual do PSOL SP aprova entrada do deputado João Paulo Rillo
    A Executiva Estadual do PSOL SP reunida neste sábado, 24.03, na sede do partido aprovou por 13 votos a 1, a entrada do Deputado Estadual João Paulo Rillo no PSOL. Nas redes sociais o deputado Rillo se manifestou em publicação com título Um Novo Caminho, no qual apresenta as razões da saída e um pouco das […]
  • Grande Ato em memória de Marielle Franco nesta terça 20.03 às 17h no Masp
    Marielle vive! Convidamos todas e todos, lutadoras e lutadores para um ato político, cultural e ecumênico na próxima terça, dia 20 de março, no vão livre do MASP – Av.Paulista, a partir das 17h. Será um dia de mobilizações nacionais, para transformar nossa dor e indignação em luta. Não podemos tolerar mais tanta violência. O […]

%d blogueiros gostam disto: