PEC das Domésticas: avanço civilizatório contra a mentalidade colonial

7 de abril de 2013 at 2:09 am Deixe um comentário

Ivan Valente
Deputado Federal PSOL/SP

Ivan-Valente

Sr. Presidente, Sras e Srs Deputados,

Hoje deve ser promulgado pelo Senado Federal um grande avanço civilizatório para o Brasil. A Proposta de Emenda Constitucional 478/10, conhecida como PEC das Domésticas, aprovada no último dia 26 de março por unanimidade pelos parlamentares. É uma iniciativa que demorou décadas para acontecer. Dizemos agora que os direitos das trabalhadoras e dos trabalhadores domésticos foram ampliados mas, precisamente, devemos dizer que estamos agora equiparando os direitos destes profissionais aos demais trabalhadores brasileiros.

O artigo 7º da Constituição Federal de 1988, ao prescrever 34 garantias aos trabalhadores urbanos e rurais, ressalva que os funcionários domésticos têm assegurados somente nove daqueles direitos, além da integração à previdência social. A proposta atual agora estende aos domésticos os mesmos direitos dos outros trabalhadores, como carga de trabalho de 44 horas semanais, sendo no máximo oito horas por dia, o pagamento de hora extra, o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) obrigatório (hoje é facultativo), e multa de 40% para demissão sem justa causa.

O Brasil dispunha de uma classe de subempregados, praticamente em situação de servidão. São 7,2 milhões de pessoas que trabalham como cozinheiros, governantas, babás, lavadeiras, faxineiros, vigias, motoristas, jardineiros, acompanhantes de idosos e caseiros. Quase 95% são mulheres, que trabalham sem jornada de trabalho regularizada e ganham menos da metade da média dos salários dos trabalhadores em geral.

Trata-se de por fim, com bastante atraso, a um grande anacronismo da sociedade brasileira. É difícil tentar compreender como é possível que no século XXI ainda seja admissível o tipo de relação trabalhista estabelecida entre patrões e empregados domésticos. Como é possível que um trabalhador ou uma trabalhadora não possam voltar para suas casas depois de um expediente exaustivo. Não é possível conceber que eles tenham que ficar disponíveis integralmente e nem mesmo hora extra recebam de seus patrões. Que possam ser arbitrariamente demitidos, eventualmente por algum capricho, e não recebam uma indenização por isso.

Felizmente, este tempo está para findar. Pelo menos no papel e na garantia de direitos, podemos afirmar que também que uma mentalidade escravista e colonial esteja também chegando ao seu fim. Vemos agora muitos ideólogos do atraso e do conservadorismo, sinhazinhas contemporâneas travestidas de colunistas de jornal, alarmados com o fim do privilégio de que dispunham, da possibilidade de transformar o tempo que perderiam cuidando de seus filhos ou de sua casa. A conveniência de fazer do tempo economizado na manutenção da casa e transformá-lo em horas de trabalho não será mais possível. É evidente que o que o patrão ganha em uma hora de seu trabalho não corresponde ao que ele paga para a sua empregada. Essa exploração tão absurda não será mais possível.

As notícias que têm circulado sobre uma suposta onda de demissões no setor por conta da maior incidência de encargos não devem ser levadas ao limite do terrorismo que alguns tentam impor. Esta é uma prática comum no Brasil diante de avanços civilizatórios que acabam com privilégios seculares. Analogamente, o fim da escravidão suscitou as vozes do “bom senso”, que pouco conseguiam disfarçar seus interesses mesquinhos. É provável que aqueles que se utilizam dos serviços domésticos não deixem de utilizá-lo, e que paguem a justa remuneração por ele.

Muito obrigado.

Ivan Valente

Anúncios

Entry filed under: Política, Psol. Tags: .

Diálogos do Movimento -Especulação Imobiliária x Meio Ambiente Chico de Oliveira avalia conjuntura político-partidária brasileira

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


RSS PSOL São Paulo

  • Guilherme Boulos | Precisamos falar de justiça tributária
    Artigo publicado originalmente no site do IREE Vivemos um momento de encruzilhada. Acredito que não podemos mais fugir ou empurrar nossos problemas pra frente. A política de ajuste de Temer é a mesma que fracassa a olhos nus e se refugia no “socorro” do FMI na Argentina de Macri. É preciso apontar os problemas estruturais do […]
  • Nota pública: o Brasil diz não a Temer
    Na última semana o governo Temer completou dois anos de ataques à democracia, à soberania e aos direitos sociais. Sua agenda de retrocessos tem como alvos imediatos os direitos trabalhistas e previdenciários, o patrimônio nacional, a legislação ambiental e a capacidade de atuação do Estado, cuja soma coloca em questão os direitos da pessoa humana, […] […]
  • Projeto do PSOL na Alesp proíbe descarte de resíduos tóxicos na natureza
    A bancada do PSOL na Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp), composta por Carlos Giannazi, João Paulo Rillo e Raul Marcelo, apresentou nesta quarta-feira (23) projeto de lei que proíbe o descarte de resíduos tóxicos na natureza em território do Estado de São Paulo. A ideia da elaboração desta proposta de lei partiu de um […]
  • Executiva Estadual do PSOL SP aprova entrada do deputado João Paulo Rillo
    A Executiva Estadual do PSOL SP reunida neste sábado, 24.03, na sede do partido aprovou por 13 votos a 1, a entrada do Deputado Estadual João Paulo Rillo no PSOL. Nas redes sociais o deputado Rillo se manifestou em publicação com título Um Novo Caminho, no qual apresenta as razões da saída e um pouco das […]
  • Grande Ato em memória de Marielle Franco nesta terça 20.03 às 17h no Masp
    Marielle vive! Convidamos todas e todos, lutadoras e lutadores para um ato político, cultural e ecumênico na próxima terça, dia 20 de março, no vão livre do MASP – Av.Paulista, a partir das 17h. Será um dia de mobilizações nacionais, para transformar nossa dor e indignação em luta. Não podemos tolerar mais tanta violência. O […]

%d blogueiros gostam disto: