Em debate dos candidatos a prefeito de Osasco, Alexandre Castilho mostra que com o PSOL é mudança pra valer

2 de agosto de 2012 at 3:17 pm Deixe um comentário

Aconteceu nesta quarta-feira, 1 de agosto, o primeiro debate envolvendo todos os 6 candidatos a prefeito de Osasco. Alexandre Castilho se destacou dos demais ao mostrar que o PSOL é um partido diferenciado, apesar de novo, já tem uma história de lutas e combates em defesa dos direitos do povo. Deixou claro que o grupo do Celso Giglio comandou a cidade por mais de 12 anos e não mudou nada, já o PT está há 8 anos a frente da prefeitura e o resultado é uma administração muito mal avaliada pela população de Osasco, que clama por mudanças. O debate foi organizado pelo Jornal Visão Oeste, pela Assembleia Popular e pela TV Osasco e teve transmissão também pela internet.

DSCF0783

DSCF0781

Castilho destacou que se antes 20 partidos estavam com Giglio agora estão com o João Paulo, ou seja, o receituário é o mesmo, cabide de empregos para atender aos apadrinhados e arregimentar apoios, péssima qualidade nos serviços públicos oferecidos à população e falta de salários e condições dignas de trabalho para o funcionalismo.

Já na apresentação, Castilho ressaltou que o PSOL é um partido diferente, mesmo com apenas um senador, foi o PSOL que apresentou o pedido a Comissão de Ética que resultou na cassação do senador Demóstenes Torres. Castilho destacou também a importância de eleger vereadores do PSOL e da Frente de Esquerda, a importância de termos na Câmara Municipal pessoas independentes, que não tenham rabo preso com os esquemas dos grupos dominam e que já dominaram a cidade.

Castilho polemizou tanto com Giglio quanto com João Paulo, um dos destaques da fala do candidato socialista, foi apontar o descaso das administrações com o funcionalismo público, problema histórico da cidade, que reflete a falta de compromisso dos governos passados e do governo atual com o atendimento à população e o respeito aos trabalhadores, outra questão importante, foi o fato de que Osasco quase triplicou a sua arrecadação, no entanto, os principais indicadores de desenvolvimento social não melhoram.

Para Castilho, tanto o PSDB quanto o PT privatizaram. Numa das perguntas, ressaltou que se o PSDB é campeão em privataria, o PT também privatiza no governo Dilma, como no caso dos Aeroportos e aqui em Osasco terceiriza a saúde pública em favor das chamadas Organizações Sociais.

Castilho fez questão de destacar as principais propostas do PSOL, entre elas, a de garantir uma efetiva participação democrática, com conselhos populares e eleição de representantes por ruas para que a população possa de fato e de direito deliberar sobre o orçamento público. Também aproveitou para cobrar as promessas não cumpridas pela atual administração, como a implantação do Bilhete Único, promessa feita por Emidio em 2004, repetida em 2008 e que até hoje não saiu do papel.

Perguntado sobre qual é o principal problema de Osasco, Castilho não teve dúvida, apontou a velha política que prefere atender aos interesses de grupos e apadrinhados ao invés de investir pra valer nas áreas sociais. A velha política que impede a participação popular e distancia a população das decisões, o modelo de governo que o PSDB já exercia e infelizmente o PT copiou. Todos os graves problemas do município: saúde, educação, transporte, habitação etc, têm como fonte a mesma lógica, um governo que governa atendendo aos interesses dos poderosos e dos grupos políticos apadrinhados.

No geral, o debate foi morno com os três candidatos considerados até aqui como principais evitando um conflito direto. Giglio pouco acrescentou no seu estilo, deixando claro que representa a velha política e o que há de mais conservador na cidade reunindo setores que já governaram por muito tempo, como as famílias Rossi e Piteri. João Paulo se esforçou para negar o óbvio, pintando uma cidade que só existe na sua imaginação e na dos dirigentes do PT. Já Osvaldo Verginio se mostrou despreparado, descompromissado com o debate político a fundo e ao mesmo tempo ressaltou suas características de assistencialista e adesista a quem está no poder.

O debate mostrou o que as pesquisas já apontavam, ou seja, que a população de Osasco procura uma alternativa, mas não a encontra entre as figuras tradicionais da política de Osasco, está alternativa está no novo, está no PSOL, na candidatura de Alexandre Castilho e na Frente de Esquerda.

Anúncios

Entry filed under: Osasco, Política, Psol. Tags: , .

Alexandre Castilho faz corpo a corpo no Centro dos Profissionais de Educação de Osasco Gurgel diz que ex-deputados do PT receberam R$ 1,2 mi

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


RSS PSOL São Paulo

  • PSOL ingressa com ação de inconstitucionalidade da lei anti-pichação de Doria
    PSOL INGRESSA COM AÇÃO DE INCONSTITUCIONALIDADE DA LEI ANTI-PICHAÇÃO DE DÓRIA O PSOL São Paulo ingressou na tarde desta quarta-feira, dia 08 de março, com uma Ação Direta de Inconstitucionalidade no Tribunal de Justiça de São Paulo questionando a Lei Municipal n° 16.612/2017, que instituiu o “Programa de Combate às Pichações” na capital. Aprovada pelo […] […]
  • Nota de repúdio à violência policial que reprimiu ato pacífico na USP
    O PSOL repudia a ação da Polícia Militar que reprimiu violentamente uma manifestação pacífica que ocorria hoje, dia 7 de março de 2017, em frente ao prédio da reitoria da Universidade de São Paulo (USP), em função da pauta bomba que seria discutida no Conselho Universitário (CO). Esta reunião do CO tinha como pauta aprovar […]
  • Projeto de pontos de cultura de São Carlos é interrompido unilateralmente pelo MINC: anúncio de um desmonte estadual em São Paulo
    Por Djalma Nery Com a tendência a entender cultura como entretenimento e eventos pontuais, políticas públicas processuais e de fomento prolongado a determinadas linguagens e manifestações artísticas tem se tornado cada vez mais escassas no orçamento público. As escolhas da atual gestão do Ministério da Cultura apontam para um possível desmonte de políticas p […]
  • A Máquina do Tempo
    Por Manoel Francisco Filho Aprendi com Neil deGrasse Tyson que segundo teoria de Albert Aistein seria possível uma curva no tempo e espaço em algum lugar do Universo, haveria possibilidade de proporcionar um portal para outra dimensão. Nunca fui muito bom em Física, abandonei o curso de Processo de Produção no terceiro semestre, esta ignorância […]
  • Desemprego no Brasil é maior entre negras e negros
    Por Joselicio Junior O estudo feito pelo IBGE, divulgado no último dia 23 de fevereiro, sobre a taxa de desemprego no último trimestre de 2016, demonstram como população negra é a mais atingida nos momentos de crise econômica. Segundo os dados, o ano passado fechou com uma taxa média de desemprego de 12%, porém para […]

%d blogueiros gostam disto: